Política para a Qualidade

O Ispa, no seu quadro estratégico de desenvolvimento institucional e em observância dos referenciais internacionais, assume um compromisso claro com a qualidade, prosseguindo assim propósitos centrais de transparência e melhoria contínua, em todas as dimensões da sua atividade institucional.

A política de qualidade do Ispa é indissociável da promoção de uma cultura de responsabilização de todas as partes envolvidas, sendo estas chamadas a participar ativamente na garantia de qualidade, incluindo estudantes, alumni, empregadores e outros stakeholders externos.

O Ispa reconhece a importância decisiva da apropriação de processos internos de garantia de qualidade pela comunidade académica enquanto requisito prévio para a mudança de comportamentos e para a eficácia e eficiência da ação institucional.

O reconhecimento da centralidade e transversalidade da qualidade e garantia de qualidade em todos os domínios da ação institucional justificam que o SIGQ seja desenvolvido através de abordagem bottom-up, inclusiva, com o empenho das lideranças institucionais e consubstanciada num claro mandato reitoral.

A estratégia do Ispa para a qualidade está naturalmente ancorada na Missão, Visão e Valores institucionais e nesse sentido muito centrada na necessidade de garantir, no estudo, ensino e investigação, o rigor, a exigência e consciência crítica, ao mesmo tempo que assegura a sua estreita articulação com as necessidades do meio social, sem que as diferenças individuais constituam obstáculos mas antes oportunidades para o aprofundamento da justiça e responsabilidade social, fim último da missão do Ispa.

As atividades de garantia de qualidade não são autónomas ou paralelas à vida académica; de facto elas têm um efeito dinamizador propício ao estabelecimento de uma cultura de “tempo e oportunidade” que garante a conformidade de processos mas também são “amigas” da criatividade e inovação.

O Ispa desenvolveu um quadro organizacional e orientações para a garantia de qualidade que são sensíveis ao contexto e à sua história, caraterizada por uma atitude responsiva e regenerativa, ou seja, adaptada às exigências, solicitações e padrões determinados pela envolvente externa mas também preparada para a experimentação.

A estratégia para a qualidade não pode deixar de estar ligada à institucionalização da avaliação interna, traduzida em exercícios regulares de autoavaliação do desempenho institucional. Destes exercícios resulta a disponibilização pública de informação relativa a todos os domínios da atividade institucional, com o objetivo de alimentar um ciclo de melhoria contínua, elemento fundamental na consumação do propósito primordial do Ispa – a sua Missão.