O seu browser não suporta JavaScript! Vencedora Prémio ISPA 2021 | ISPA – Instituto Universitário
PT

Vencedora Prémio ISPA 2021

Vencedora Prémio ISPA 2021
Natália Fernandes

O Prémio ISPA 2021, que visa distinguir jovens cientistas na área da Psicologia e Ciências do Comportamento, foi entregue à investigadora Natália Fernandes pelo desenvolvimento e validação de uma base de imagens pioneira para estudos em vários campos científicos, a Objects-on-Hands Picture Database.

 

Ver video » 

 

O recurso a estímulos visuais, como fotografias ou desenhos, é prática comum na área da psicologia experimental e cognitiva, áreas nas quais trabalha a investigadora do polo do William James Center for Research na Universidade de Aveiro. Este novo repositório de imagens é constituído por 1171 fotografias de 126 objetos de uso diário, divididas em seis categorias: acessórios de mulher, frutas, utensílios de cozinha, objetos de escritório, brinquedos e vegetais. O seu potencial abrange áreas científicas que trabalhem com a perceção, a memória, a atenção e o comportamento: “criámos esta base de imagens para usar nas minhas experiências para a tese de doutoramento, mas claro já a pensar na sua potencial utilidade para a comunidade científica. Esperamos sinceramente que tenha impacto”, avança a investigadora.

 

Natália Fernandes explica que manipularam cada objeto em diferentes condições: mãos limpas, mãos enlameadas, mãos com molho e mãos com chocolate. “Isto é um aspeto metodológico extremamente importante: num estudo de memória, por exemplo, utilizando esta base de imagens, todos os participantes poderão recordar exatamente a mesma informação, ou seja, o mesmo objeto. O que irá variar será o modo como este é originalmente processado na fase de codificação da informação”, avança.

 

O principal problema com as bases de dados anteriores é que só permitem aos investigadores comparar o que acontece quando expostos a diferentes itens ou estímulos: uma imagem que mete nojo vs. uma que não mete, por exemplo. Isto acarreta os chamados problemas de seleção de itens, características inerentes e incontroláveis destes objetos que podem enviesar a nossa perceção e assim afetar o processo em estudo, levantando questões sobre as conclusões que daí se tirem.

Recorrendo aos estímulos desta nova base de dados, “por exemplo, se tivermos umas mãos cobertas com chocolate, podemos de facto dizer ao participante que elas estão cobertas de chocolate ou com diarreia e o processamento será completamente diferente – mas o objeto de interesse mantém-se. É diferente de termos de recordar uma cobra, uma pessoa a vomitar ou uma vassoura, coisas muito distintas”, clarifica Natália Fernandes.

 

O Prémio ISPA visa distinguir jovens cientistas (com menos de 35 anos e que tenham obtido o último grau há menos de 5 anos) cujos trabalhos de investigação tenham sidos realizados numa instituição de I&D nacional e publicados em revistas internacionais nos últimos três anos.

Além dos percursos profissionais dos candidatos, são valorizados a originalidade e a fundamentação científica do trabalho apresentado, bem como o impacto da contribuição científica para a área disciplinar em que se insere.