Attachment and Social Adaptation to preschool - POCTI/PSI/36429/1999 (From 2001 to 2004)

Research Team:

Manuela Veríssimo (Project Leader)
António Santos
Lígia Monteiro

Project's Summary:

As investigações sobre a vinculação sugerem que as crianças classificadas como seguras têm, efectivamente, mais competências comunicativas e são mais hábeis a construir relações significativas com pares e outros adultos (por oposição a crianças inseguras). Oppenheim e Waters (1995) sugerem, a partir da revisão da investigação, que tanto a capacidade da criança em construir narrativas sobre tópicos pessoais carregados emocionalmente como partilhá-los com outros está associada à qualidade da vinculação (novamente, o factor das crianças seguras). Assim, pode esperar-se que crianças/inseguras providenciem diferentes narrativas ao expressarem as suas experiências pré-escolares. É, nesta transição para o pré-escolar, que se torna por demais interessante, compreender não só como crianças seguras/inseguras formulam as suas narrativas, bem como, reconhecem e internalizam os recursos e constrangimentos vividos nos seus comportamentos, nas relações com adultos e pares. Como expressam os seus sentimentos? Quais os sentimentos expressos? Requerem ajustamento intrapessoal, e se sim, o indíviduo tem sucesso? Resultados do estudo de consórcio de NICHD (1997) sugerem que as atitudes maternas para com a pré-escola, bem como, a qualidade do mesmo são determinantes significativos no desenvolvimento e continuidde das relações saudáveis mãe-criança.

Project’s aims:

Este projecto visa providenciar evidência descritiva sobreo o tipo de vinculação já existente e desempenhos que lhe estão associados, qualidade do jardim de infância, atitudes maternas para com o pré-escolar, e narrativas das crianças sobre essas vivências, numa amostra de crianças em idade pré-escolar.Um grupo de 100 crianças com 3 anos de idade participarão num estudo longitudinal em que as observações das interações mãe-criança serão acedidas com o Attachment Q-sort (Waters, 1995) que foca o comportamento de base segura e foi utilizado com êxito em crianças dos um aos cinco anos deidade. Pedir-se-áàs crianças e às suas mães para construirem histórias baseadas em imagens alusivas à actividade diária no pré-escolar. A qualidade da instituição será acedida através da Early Childhood Environment Rating Scale (Harms & Clifford, 1980) e da Arnett Classroom Interaction Scale (19899. por último, as mães serão entrevistadas para se determinar os sentimentos relativos ao pré-escolar. Análises descritivas reportarão a qualidade da vinculação caracterizando as crianças desde o início do pré-escolar (30-42 meses) à idade escolar (60-70 meses); as relações entre o tipo de vinculação, tipo de narrrativas das crianças e as influências da qualidade da pré-escola e das atitudes maternas na estabilidade da vinculação e qualidade das narrativas. A clarificação dos possívesi elos entre a qualidade da relação mãe-criança e a adaptaçã pré-escolar ajudará a compreender melhor o desenvolvimento das trajectórias individuais e fornecerá pistas importantes em como preparar mais adequadamente as crianças para esta transição importante.

« Back

UIPCDE – Unidade de Investigação em Psicologia Cognitiva, do Desenvolvimento e da Educação
Rua Jardim do Tabaco, 34 | 1149-041 Lisboa
Telefone: (+351) 21 881 17 00 | Fax: (+351) 21 886 09 54 | E-mail: uipcde@ispa.pt