O seu browser não suporta JavaScript! O ISPA nos media - 2015 | ISPA – Instituto Universitário
PT

Newsletter ISPA

O ISPA nos media - 2015

A psicóloga clínica e investigadora do ISPA Ana Carvalheira afirma que nos últimos dois anos lhe têm chegado ao consultório homens que encontraram nesta app uma saída para os seus fracassos sexuais. “São sujeitos que sempre tiveram dificuldade em flirtar, abordar mulheres, e depois de terem descoberto o Tinder tem sido um ver se te avias'.

 

“Tu estás livre e eu estou livre e há um Tinder”, Expresso - Revista E , 26-09-2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

Lisa Matos passou 12 anos em Nova Iorque a trabalhar com refugiados sobreviventes de tortura e outras experiências traumáticas. Hoje frequenta o doutoramento em Psicologia Clínica do ISPA e colabora como consultora no programa de reinstalação de refugiados do Serviço Jesuíta aos Refugiados.

 

“Lisa, a especialista”, Notícias Magazine, 27-09-2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

José Morgado, docente no departamento de Psicologia da Educação do ISPA - Instituto Universitário, apela ao bom senso dos pais, que "muitas vezes têm medo de não dar aos filhos o que os outros pais dão". "Com uma creche de qualidade, que faz atividades estimulantes para o desenvolvimento da criança, não vejo necessidade de ter outras atividades", refere.

 

“Inglês, música, dança, xadrez não sobrecarregue o seu filho”, Diário de Notícias, 01-10-2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

Semin, 71 anos, nascido na Turquia, formado na Alemanha e no Reino Unido e até recentemente a trabalhar na Universidade de Utrecht, na Holanda, é hoje o director do recém-instalado Laboratório de Psicologia (Centro de Investigação William James) do ISPA-Instituto Universitário, em Lisboa. E explica-nos que, pela primeira vez, vai ser possível estudar aqui o funcionamento da mente humana fazendo interagir várias pessoas em tempo real.

 

“Neste laboratório estuda-se o contágio das emoções pelo suor”, Público, 30-09-2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

Quando se aproximam as eleições, a campanha é mais negativa e agressiva. Esta é uma das certezas do investigador italiano Luigi Castelli, do centro de Neurociências Cognitivas da Universidade de Pádua, um perito que tem estudado campanhas eleitorais e assessorado forças políticas em Itália. "O motivo por que, como psicólogo, me interessam as campanhas negativas é o facto de a literatura da Ciência Política não ter conseguido ainda dar uma resposta definitiva sobre a sua utilidade", diz Luigi Castelli ao PÚBLICO. Até porque, sublinha, o candidato [político] que usa mensagens negativas é pior avaliado. O psicólogo italiano está em Lisboa, onde ontem proferiu uma conferência no ISPA.

 

“Quando se aproximam as eleições, a campanha é mais agressiva”, Público, 29-09-2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

Artigo de opinião de José Morgado.

 

Crianças, educação e autonomia, Público Online, 19-09-2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

Ana Carvalheira, Sexóloga e Psicóloga Investigadora no ISPA- Instituto Universitário, revela que a conversa deve ser regra entre parceiros e aconselha os adolescentes a sentirem-se livres para dizer aquilo que querem ou não fazer numa relação. É assertiva: "Expressa-te e sente-te livre para expressar as tuas dúvidas."

 

“Sexo e adolescência. Descubra sete tabus”Observador, 23-09-2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

Ou talvez o problema seja mesmo, como aponta José Morgado, professor de Psicologia da educação no ISPA, onde é membro do Centro de Investigação em Educação, uma demasiada 'manualização' do ensino. «O trabalho de preparação do professor é hoje residual», explica, criticando o excesso no recurso aos livros. Afinal, «há correntes pedagógicas que não o fazem – e cumprem o programa na mesma».

 

“O negócio milionário dos manuais”Visão,  24-09-2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

A naturalidade daquela demonstração de desrespeito e de falta de consideração é sintoma de uma alteração maior e de fundo na sociedade, como explica o psicólogo José Morgado, professor no departamento de Psicologia da Educação no Instituto Superior de Psicologia Aplicada (ISPA).

 

Pais vs. professores - Quem manda na sala de aula?, Notícias Magazine , 20-09-2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

Quanto mais expostos os adolescentes estiverem aos ecrãs, pior tende a ser o rendimento escolar. A conclusão é de um estudo da Universidade de Cambridge publicado ontem, no qual participaram mais de 800 alunos com uma média de 14 anos. Se o estudo fosse feito em Portugal, os resultados deveriam ser semelhantes. É esta a convicção de José Morgado, docente no departamento de Psicologia da Educação do ISPA-Instituto Universitário.

 

Jovens que passam muito tempo à frente de ecrãs têm piores notas, Diário de Notícias, 05-09-2015

 

ispa_jose_morgado_DN_05_set_2015

 

Leia a notícia na integra »

 

 

Psicóloga há mais de 35 anos, Isabel Leal é um rosto familiar para quem se habituou a ler as suas crónicas em várias revistas, nomeadamente na CARAS, para onde escreve há 20 anos, ou que a acompanham nos programas televisivos e radiofónicos em que tem participado. Além de exercer Psicologia Clínica, a cronista é ainda psicoterapeuta, professora universitária no ISPA e investigadora, tendo já produzido dezenas de obras, algumas delas acessíveis ao grande público.

 

Isabel Leal defende: "As redes sociais permitem que se viva um ´faz de conta`" – Entrevista, Caras , 05-09-2015

 

ispa_isabel_leal_caras_05_09_2015

 

Leia a notícia na integra »

 

 

Daniel Sousa, especialista em psicologia clínica e director da clínica do ISPA - Instituto Universitário, alerta que, mais do que aceitar que existe uma melancolia patológica quando acabam os dias do dolce far niente, é preciso pensar que sintomas de depressão que perdurem no tempo são sempre um sinal de alerta. “Para muitas pessoas que se sentem mal com o seu quotidiano, mesmo que não o percebam, as férias funcionam como um entre parênteses e, quando regressam, voltam a sentir-se mal. Mas não existe uma entidade nosológica ligada às férias, uma doença. O problema já lá estava.”

 

A ressaca pós-férias tem cura, i, 01-09-2015

 

daniel sousa jornal i 01Set2015 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

"A questão, contudo, será encontrar as pessoas certas a quem prescrever o medicamento e ter a certeza de que o desequilíbrio é a razão dos problemas". E é isso que leva especialistas como Ana Carvalheira, investigadora do ISPA - Instituto Universitário, a duvidar. “Não tenho um entusiasmo exuberante em relação pois é o desejo é multifactorial”, resume, admitindo mesmo que na maioria das mulheres os problemas nada têm a ver com o correcto funcionamento dos centros de prazer no cérebro.

 

O comprimido azul já tem namorada, i, 20-08-2015

 

ISPA_ANA_CARVALHEIRA_I_20AGO2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

“Eventualmente poderá funcionar para algumas mulheres, no caso de haver um desequilíbrio ao nível destes neurotransmissores. Mas, na generalidade dos casos, as causas da falta de desejo são tão variadas e complexas que é utópico pensar que uma única substância pode resolver o problema”, explica Rui Costa, investigador do ISPA - Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida.

 

Um comprimido chamado desejo, Expresso, 17-08-2015

 

ISPA nos Media, Rui Costa, Expresso, 17-08-2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

"Encontrámos, a mais de 30 metros, organismos que normalmente só observamos até aos cinco a dez metros de profundidade, e encontrámos sobretudo uma biodiversidade que contrasta com toda a zona oceânica envolvente", descreve Frederico Almada, biólogo e investigador do MARE - Centro de Ciências do Mar e do Ambiente, do ISPA - Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida.

Banco de Gorringe. Um oásis debaixo de água, Público // Público Online, 12-08-2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

Não há uma idade ideal para as primeiras férias com os avós. “Depende da autonomia da criança e da experiência dos avós”, defende José Morgado, docente no departamento de Psicologia da Educação do ISPA - Instituto Universitário. Não há dúvidas de que os avós são bons cuidadores, sublinha o doutorado em Estudos da Criança.

 

Férias passadas com os avós? Fazem bem e recomendam-se, Diário de Notícias, 11-08-2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

Pela segunda vez, o governo vai candidatar o arquipélago a Património Mundial da UNESCO.

“Em 1999, existiam nas praias da ilha de Orango 12 ou 13 acampamentos de senegaleses, com centenas de barracas e barcos de 20 metros equipados com redes gigantescas e arcas congeladoras”, descreve Paulo Catry, investigador do Instituto Superior de Psicologia Aplicada, em Lisboa. 

 

Bijagós: O Tesouro sagrado da Guiné - BissauNational Geographic, 01-08-2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

Na opinião de Ana Carvalheira, psicóloga e investigadora do ISPA Instituto Universitário, a estação do ano não é “potenciadora ou inibidora” da atividade sexual. “O desejo sexual de homens e mulheres é multifatorial. Por conseguinte, as estações do ano ou o clima seriam apenas uma pequena variável numa equação complexa e com muitas variáveis”, defende. “E não é necessariamente o calor que potencia a atividade sexual, pois o mesmo se poderia dizer do frio.”

 

Quando fazemos os nossos bebés?, Expresso – Revista E, 03-08-2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

Participação de Ana Carvalheira, psicóloga clínica e psicoterapeuta, professora no ISPA – Instituto Universitário

 

Um comprimido chamado desejo, Prevenir, 01-08-2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

A sexóloga e investigadora Ana Carvalheira acrescenta que a possibilidade de infidelidade no Facebook é maior do que na vida offline, pela enorme rede de contactos e pelo modo rápido e imediato como os processos de sedução acontecem. “E o online dá outras coisas. A possibilidade de fantasiar e idealizar com o outro, a sensação de controlo e de proteção e abre caminhos ambíguos que disparam em muitas direções. Um simples like pode ser iniciador de algo. Alguém faz um like numa publicação de uma amiga, ela fica agradada, sente que ele está atento ao que ela faz e decide responder-lhe com um simpático “Olá”. E, em poucas frases, a conversa por escrito pode passar rapidamente a um registo mais sedutor, mais erotizado entre ambos. O problema que se coloca é quando as pessoas são comprometidas e não têm cuidado e bom senso e colocam as suas relações em risco, como aconteceria numa conversa sedutora iniciada num bar”, esclarece a investigadora do ISPA.

 

O amor é f#?@%* na rede, Expresso – Revista E, 13 de Julho de 2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

"Acaba muitas vezes por acontecer os miúdos terem uma imensa panóplia de atividades neste período. E eles também precisam de outras rotinas, de brincar, de serem crianças por um bocadinho", apela o professor do Instituto Superior de Psicologia Aplicada, criticando também as tais "crianças-agenda", que mesmo nas férias continuam com uma sequência organizada de horários e afazeres.

 

Férias grandes... de mais?, Visão Online, 11 de Julho de 2015

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

“O ISPA em parceria com a Escola Superior de Educadores de Infância Maria Ulrich criam a Licenciatura em Eduacação Básica." - Semanário OJE (9 de junho de 2015)

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

“A exposição deliberada de aspetos da vida pessoal não pode ser invocada como desistência do direito à privacidade”, Isabel Leal, docente do ISPA. Revista E, Expresso (20 de junho de 2015)

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

"Namorar é muito mais importante que a escola", Eduardo Sá, docente do ISPA. Activa (1 de Junho 2015)

 

 

Leia a notícia na integra »

 

 

"Um país à beira de um ataque de nervos", referência a Ivone Patrão e Joana Santos Rita, investigadoras do ISPA. Visão (21 de Maio, 2015)

 

 

Leia a notícia na integra »

  

 

"O lado negro das mães", Isabel Leal. Máxima (1 de Maio, 2015)

  

 

Leia a notícia na integra »

 

  

"Sexo, mulheres e testosterona - uma relação complexa", Rui Costa. Público (30 de Março, 2015)

  

 

Leia a notícia na integra »

 

  

"O livro legitima as fantasias sexuais", Ana Alexandra Carvalheira. Correio da Manhã (2 de Março, 2015)

  

Leia a notícia na integra »

 

 

As portuguesas começam a consumir mais pornografia, confirma o estudo da sexóloga, investigadora do ISPA, Ana Alexandra Carvalheira. Visão (5 de Fevereiro, 2015)

  

 

Leia a notícia na integra »