O seu browser não suporta JavaScript! ISPA N1 MINUTO | Newsletter setembro/outubro 2020 | ISPA – Instituto Universitário
PT

ISPA N1 MINUTO | Newsletter setembro/outubro 2020

 

Lavar as mãos. Por o telefone a carregar. Atar os sapatos. Fazer uma lista. Limpar o desktop. Beber água. Estas são algumas das coisas que fazemos no dia a dia e que demoram no máximo um minuto.

 

Num ano atípico, em que nos encontramos menos vezes pelos corredores, é ainda mais importante saber que o ISPA nunca para. Assim, contem connosco, Gabinete de Marketing e Comunicação, para vos informarmos mensalmente sobre o que de mais relevante vai acontecendo.

 

Prometemos não vos roubar muito tempo. Apenas um minuto.

 

Inês Simão

Coordenadora do Gabinete de Marketing e Comunicação

 

 

 

 

 

30 anos: a gloriosa carreira de Pedro Almeida

“Estou a chegar à Avenida 24 de julho.” Pedro Almeida raramente tem momentos mortos nos seus dias. Foi a caminho de um compromisso que falámos com ele sobre os seus 30 anos enquanto psicólogo.

 

Para começar, o seu futuro poderia ter sido muito diferente: “a primeira vez que me cruzei com a Psicologia foi no secundário, mas estava em quimiotecnia; na prática ia ser uma pessoa da química – garantidamente muito frustrado”. Fê-lo mudar de ideias uma professora de Psicologia, mas também o facto de a determinada altura ter percebido “que gostava mesmo era de falar com pessoas”. Fez sentido na altura e não se arrepende: “saltei da química a tempo, acho eu”.

 

Entrou para o ISPA em 1985 e concluiu o curso em 1990. Na altura, a Psicologia do Desporto estava a começar a crescer em Portugal. “O primeiro salto foi dado pelo Professor António Paula Brito, considerado o Pai da Psicologia do Desporto em Portugal, que até dá nome à Sala de Estudo na Biblioteca do ISPA. Foi o primeiro psicólogo do desporto em Portugal verdadeiramente digno desse nome, não só do ponto de vista académico, mas também do ponto de vista prático”, conta. O boom começou, segundo Pedro Almeida, “em 1993 e a partir daí foi havendo mais formação”; foi, aliás, nesse ano que fez parte do primeiro Mestrado em Psicologia do Desporto, na Universidade do Minho, e “os que se formaram nessa altura, para aí uma dezena de psicólogos, acabaram por ir para diferentes contextos e demos o impulso à área.”

 

Este ramo da Psicologia continua a crescer atualmente. Apesar disso, Pedro Almeida acredita que “estamos numa fase diferente, de maior afirmação e reconhecimento, mas continuamos a ter os problemas de sempre”. Enumera o “clássico estigma associado às questões da saúde mental” ou a questão da falta de dinheiro para pagar por serviços de Psicologia: “até parece que na maior parte dos casos os psicólogos ganham como o Cristiano Ronaldo – o que se sabe que, infelizmente, não é verdade”. Por fim, “uma outra falácia de que isto só conta, só é importante, para atletas de alta competição: é importante para todos, atletas, treinadores, árbitros e muitos outros agentes desportivos, em qualquer contexto competitivo. Isto tudo existe, mas em muito menor escala que há 10, 20, 30 anos atrás.”

 

No entanto, desde o início da sua carreira que há obstáculos que se mantêm: “as pessoas com quem me cruzava no terreno não eram psicólogos, eram bruxos: havia o famoso Zandinga na altura”. Atualmente, “temos outros profissionais que estão no terreno como os coaches e os motivadores – nós vamos lutando contra algumas coisas que vão acontecendo e que, no fundo, acabam por ser iguais, mas com nomes diferentes.”

 

Considera-se um homem do terreno, ainda que desde sempre ligado à academia. Afirma que “não há nada que faça que não tenha um fundamento teórico”, mas “claramente sou um psicólogo antes de ser um cientista: primeiro preocupo-me com as pessoas que tenho à minha frente e a questão da investigação vem depois, muitas das vezes aplicada: investigação-ação, avalio a minha própria intervenção com medidas antes e depois”.

 

Esteve, como é sabido, no Sport Lisboa e Benfica durante 25 dos seus 30 anos enquanto profissional. Perguntamos se alguma vez sentiu a notoriedade por ser um dos mais conhecidos psicólogos a trabalhar na sua área: “fui tendo esse reconhecimento verbalizado; evidentemente fui percebendo que estava a ter algum impacto na própria comunidade da Psicologia e no mundo do desporto – no futebol numa primeira fase, depois noutras modalidades desportivas também. Para responder à tua pergunta: vivo bem com isso porque verdadeiramente não sou um VIP.”

 

Há episódios, no entanto, que escapam à regra; não entra em detalhe mas conta, bem-disposto, de “fases em que estive mais visível no futebol profissional do Benfica, onde aí honestamente não tinha muita piada ser reconhecido na rua e até às vezes levar com algumas bocas de adeptos anónimos, que não conhecia de lado nenhum, acerca da performance psicológica da equipa – aí não tinha muita piada, não.”

 

O seu trabalho para além do desporto-rei abrange atletas como o surfista Kikas, o tenista Frederico Silva ou o piloto António Félix da Costa. Questionamos se existem diferenças na abordagem que implementa com estes praticantes de desportos individuais e a que aplica em equipas: “vou-te dar uma resposta à psicólogo: essa não é a única variável da qual depende.” Explica que “muitas vezes fazes a mesma coisa com um atleta do desporto coletivo o que fazes com um de desporto individual, porque trabalhas o atleta do desporto coletivo de forma individual. O que está em jogo muitas das vezes é a casuística: o que resulta da tua avaliação é que determina o que fazes.”

 

Pedro Almeida não determina o que os seus alunos farão das suas carreiras, mas para os que queiram seguir as suas pegadas, destaca alguns ingredientes fundamentais: “Que conselhos é que eu dava? Persistência. Não desistir nos primeiros episódios onde as coisas não aconteçam como se quer. São tudo lugares-comuns que sabemos serem importantes para muita coisa na vida, mas é importante dizê-lo: há que ser resiliente.” A segunda parte do seu conselho, diz, é o “contrário do que muito boa gente pensa: nada mais prático que uma boa teoria. O pessoal tem que se manter atualizado. Diria que com estes ingredientes, desde que com alguma ambição à mistura, se chega lá.”

 

O que é, para Pedro Almeida, ser Ispiano?

“É o que tu aprendes na vivência do quotidiano, algo que se entranha e que depois te faz ter um compromisso afetivo: uma expressão muito psicológica, mas que é mesmo o que acaba por acontecer.”

 

João Gonçalo Camilo

Comunicador de Ciência, Gabinete de Marketing e Comunicação

 

 

 

 

Realizou-se nos dias 23 e 24 de outubro mais um congresso de psicanálise do ISPA dedicado ao tema “Psicanálise e Crise” que contou com a abertura dos trabalhos pela Ex.ma Reitora do ISPA, Professora Doutora Isabel Leal. 

 

As circunstâncias da crise e confinamento abriram-nos a oportunidade de fazer um encontro online de pessoas que estão fisicamente tão afastadas como em Lisboa, no Brasil, em Londres, Nova Iorque, Califórnia ou no outro extremo da Europa. Desta forma pudemos reunir um leque de especialistas de renome nacional e mundial da área da Psicanálise e Psicoterapias modernas com inspiração analítica (António Coimbra de Matos, Eduardo Sá, Paul Wachtel, Diana Fosha, John  Frederickson e Hanna Levenson), do Psicodrama (Graciela Moyano), da Terapia Familiar e de Casal (Carla Mendes e Fernanda Palermo), da Psicanálise Aplicada a contextos da Parentalidade (Ana Camarneiro) e da Justiça (Ludgero Paninho). Um dos temas predominantes foi o Serviço Social Psicanalítico e Intervenção Social Psicanalítica contando com as intervenções de Andrew Mark Cooper, Sylvia O’Neill, Elizabeth Ann Danto, ou Patricia Gherovici que vieram falar dos contributos da Psicanálise para o serviço social, ou da resposta de justiça social que pode ser dada pela Psicanálise em situações de crise.

 

Os 30 intervenientes falaram do seu trabalho e de como perspetivam o futuro marcado pelo contexto em que vivemos: o impacto e os desafios colocados pela pandemia, como o confinamento, o trabalho online e as interrogações daí resultantes, as adaptações da técnica e redefinição do setting e outras questões ligadas à incerteza, e à crise e justiça sociais. 

 

Lisboa, 28 de Outubro de 2020

António Pazo Pires

 

 

 

Peixes Nativos financiado pelo Fundo Ambiental

O Projeto Peixes Nativos, da investigadora Carla Sousa Santos, foi uma das 14 candidaturas financiadas pelo Fundo Ambiental – Aviso “Proteger a Vida Terrestre”, de um total de 124 projetos submetidos a nível nacional.

O projeto, que celebra três anos de existência em novembro, é um consórcio com a Águas do Tejo Atlântico, S.A., e este novo financiamento, diz Carla Sousa Santos, “é um reconhecimento do trabalho de sensibilização que realizámos com centenas de crianças nos últimos 2 anos para a preservação de espécies em risco de extinção e dos seus habitats.”

 

ISPA líder em projeto ao abrigo do Programa Conciliação e Igualdade de Género

O Professor José Ornelas coordena um novo projeto, liderado pelo ISPA, sob a temática da “Violência de Género e Empoderamento”.

Sendo selecionado pelo concurso promovido pela Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género – CIG, operador do Programa “Conciliação e Igualdade de Género” e financiado pelas EEA Grants, este é um projeto desenvolvido em colaboração com a TAIPA – Organização Cooperativa para o Desenvolvimento Integrado do Concelho de Odemira, a Associação Cabo-verdiana de Setúbal, a Casa do Brasil de Lisboa e ainda a Women of Multicultural Ethnicity Network (W.O.M.E.N in Iceland).

 

Alto Comissariado para as Migrações elege novo projeto do ISPA

A Professora Maria Emília Marques é a responsável por mais um projeto do ISPA financiado pelo Fundo para o Asilo, a Migração e a Integração (FAMI), intitulado “Intervenção EtnoClínica com Requerentes e Beneficiários de Protecção Internacional”. O projeto teve o seu kick-off no passado dia 1 de setembro.

 

Artigos publicados

Sinval, J., Aragão e Pina, J., Marôco, João, Santos, Catarina M., Uitdewilligen, S., Maynard, M. Travis, Passos, Ana M., https://doi.org/10.3389/fpsyg.2020.550271, Frontiers in Psychology

Fernandes, Marília, Santos, António J., Antunes, Marta, Fernandes, Carla, Monteiro, L., Vaughn, Brian E., Veríssimo, Manuela, https://doi.org/10.3389/fpsyg.2020.571792, Frontiers in Psychology

McGregor, Peter K., Mowles, S.L., https://doi.org/10.1007/s10211-020-00354-7, Acta Ethologica

Gatt, M.C., Versteegh, M., Bauch, C. et al. (Paulo Catry), https://doi.org/10.1007/s00442-020-04775-w, Oecologia

Bonnet-Lebrun, A.S., Catry, Paulo, Clark, T.J., Campioni, Letizia and others, https://doi.org/10.3354/meps13439, Marine Ecology Progress Series

Garland, Ellen C., McGregor, Peter K., https://doi.org/10.3389/fpsyg.2020.544929, Frontiers in Psychology

Perpétuo, Catarina, Fernandes, Marília, Veríssimo, Manuela, https://doi.org/10.3389/fped.2020.567390, Frontiers in Pediatrics

Vaz, Alexandre, Ecker, B., https://doi.org/10.1002/jclp.23058, Journal of Clinical Psychology

Loureiro, Filipe, Garcia-Marques, Teresa, Wegener DT, https://doi.org/10.1371/journal.pone.0238848, PLOS ONE

Aleixo, Ana, Pires, António Pazo, Angus, L. et al. (David Neto e Alexandre Vaz), https://doi.org/10.1007/s10879-020-09472-6, Journal of Contemporary Psychotherapy

Vicente, Patricia, Martins-Cardoso, Sara, Almada, Frederico, Gonçalves, Emanuel J., Faria, Ana Margarida, https://doi.org/10.3354/meps13311, Marine Ecology Progress Series

Farinha-Fernandes, A., Conceição, Nuno, Silva, R., https://doi.org/10.1002/capr.12348, Wiley

Ribeiro, D., Nunes, A.R., Teles, M., Anbalagan, S., Blechman, J., Levkowitz, G., Oliveira, Rui F., https://doi.org/10.7554/eLife.56973, eLife Sciences

Mello, Joana, Garcia-Marques, Teresa, Briñol, P., Cancela, A., Petty, Richard E. , https://doi.org/10.1016/j.jesp.2020.104018, Journal of Experimental Social Psychology

de Campos, E.A.R., de Paula, I., ten Caten, C.S., Maçada, A.C., Marôco, João, Ziegelmann, P., https://doi.org/10.1016/j.eiar.2020.106433, Environmental Impact Assessment Review

 

 

 

A Noite Europeia dos Investigadores irá realizar-se no próximo dia 27 de novembro, entre as 17 horas e a meia-noite – e, pela primeira vez, o programa será maioritariamente online.

 

O ISPA estará presente em três vertentes diferentes: o William James Center for Research dinamizará uma atividade através de uma app, e um grupo de investigadores do MARE está a preparar um vídeo pedagógico sobre o impacto das alterações climáticas nos oceanos. Por último, mas não menos importante, o investigador Frederico Almada será o representante do ISPA na atividade que o MARE está a promover com todos os seus polos – mais informações sobre este assunto em breve!

 

Mantenham-se atentos às redes sociais do ISPA (Facebook e Instagram) e ao site https://noitedosinvestigadores.org/ para estarem a par de toda a nossa participação neste que é um dos maiores eventos a juntar Ciência e Sociedade.

 

 

 

Ana Rita Patrício em destaque no Observador, Mentes Brilhantes  Eduardo Sá sobre o Congresso de Psicanálise 2020 na RTP, Portugal em Direto (minuto 12:51)  Paulo Catry no DN: carta à Science sobre o maior e mais "letal envenenamento intencional de abutres do mundo"
     
Daniel Sousa na Rádio Renascença, sobre o Dia Mundial da Saúde Mental Eva Diniz no Público, acerca do bem-estar das crianças durante a pandemia de covid-19  Rui Oliveira na RTP, convidado do Fronteiras XXI: De Que é Capaz o Cérebro Humano? 
     
Gonçalo Silva no Observador, kick-off do BiodivAMP: o novo projeto liderado pelo ISPA Ivone Patrão na RTP, Portugal em Direto: PsiQuaren10 premiado pela Ordem dos Psicólogos Portugueses (minuto 15:02)  José Morgado na Sábado, sobre o sucesso escolar

 

 

 

Tendo como objetivo um contacto mais próximo com os seus estudantes e candidatos, o ISPA criou a Students Welcome & Support Unit. Esta nova unidade pretende gerir os vários canais de atendimento a candidatos e estudantes, dinamizar atividades de acolhimento e integração académica, bem como iniciativas de divulgação do ISPA junto da rede de ensino básico e secundário.

 

Contactos:

Students Welcome & Support Unit

e-mail: candidaturas@ispa.pt  |  info@ispa.pt

Linha Azul Candidaturas

808 101 717

Tel. atendimento geral: +351 218 811 700

 

Segunda a sexta-feira

10:00 às 13:00 e das 14:30 às 19:00 (entre abril e outubro)
10:00 às 13:00 e das 14:30 às 17:30 (restantes meses do ano)